quinta-feira, fevereiro 21, 2008

estado mental


sempre quis ser uma melodia triste para entender a crueldade humana e penetrar nas lágrimas dos que ouvem o som doloroso da tristeza.

sempre quis ser o silêncio que penetra aos ouvidos do corpo que a tristeza se apoderou, sem dar tréguas ao esforço dos dentes para rasgar um sorriso entre os lábios marcados com amargura.

sempre quis ser só e deambular por ai com a solidão sem precisar horas de isolamento para entender nem perceber o significado de isolamento.

sempre quis ser outro e assim entrar em mim para desligar o botão da magoa.

musica: Die Alone by Ingrid Michaelson

3 comentários:

Xinha disse...

Era bom que pudessemos desligar o botão da mágoa..era tão bom!

Lis disse...

Este é um dos teus melhores textos!

E pensei o mesmo ao saber da renúncia de Fidel Castro.




Permitir-me-ás uma crítica ao teu espaço: a rádio enerva um bocadinho...

Paradoxo disse...

"desligar o botão da mágoa"
está brutal!!

e talvez ligar o do amor...hum?

um texto muito bem desenhado!
abraço!