terça-feira, agosto 11, 2009

o teu silêncio...

nunca tive dificuldades em iniciar um texto sobre mulheres, alias, sempre foram os textos que com alguma facilidade as palavras me vinham parar... foi assim, que escrevi sobre muitas ou algumas para não parecer exagerado; as que amei, as que magoei, as que sonhei, outras que me deixaram, as que me perseguem, ou aquelas que no seu anonimato fazem-se presente nos meus dias. por todas, escrevi sem algum apuro.

hoje, sem qualquer obrigação sentimental apercebi-me de que nunca antes tinha escrito sobre TI, mesmo naqueles momentos que merecias todas as palavras do meu interior, que de alguma maneira me foram ensinadas por TI, todas as palavras que dizias por gestos, ou como em muitos casos dizias-me com aquele teu olhar que me fazia sorrir espontaneamente.

hoje, sem qualquer obrigação sentimental, recuso-me a escrever-te palavras tristes, palavras amargas, palavras que me façam distanciar do teu sorriso, palavras que te façam entristecer ai, onde agora muitos outros têm o prazer de ouvir os teus conselhos... sim, apenas vou escrever-te palavras que me façam sorrir, palavras que me façam gritar de orgulho por fazer parte de TI, palavras doces, palavras alegres, palavras vivas, palavras coloridas como o arco íris (lembras-te do teu arco íris?), palavras que simplesmente se pareçam contigo.

hoje, apesar de tudo estar diferente, continuas a mesma, nos mesmos locais e com a mesma aparência... calma, alegre, conselheira, amiga, confidente e para sempre presente no meu mundo.

ao fundo, Música É – Eros Ramazzotti, porque foi assim que sempre de defini e assim se manterá.
[agradeço todas as mensagens de carinho.]


Música es
mirar hacia lo lejos, dentro de ti mismo,
la luz es un reflejo, al fondo del abismo
es la inmensidad del cielo azul,
es, tal vez, mi pensamiento, mi inquietud
sin darme cuenta sé
que todo en torno a mí, a mí
música es
la danza regular de tu pecho respirando junto a mí,
la fiesta de tus ojos siempre que me miras,
tú, y tu alegria cuando ríes,
tú, tan sólo tú, y la armonía con que te mueves
te escucharé por ser
tan sólo para mí, por mí
música es, música es,
música es, música es,
música es
música es, música es,
música es, música es
escucho ahora
el ruído de la calle donde he nacido,
mi madre cuántas veces me ha convencido,
pero es más fuerte el grito de mi libertad
y bajo el cielo
el sol haciendo un guiño
hará que se acaloren esos niños
que no se cansan de jugar al balón
y siento ahora cantar en dialecto,
y luego escucho la lluvia y el viento.
es volver al ayer
es la magia que siento
música, de dónde sales
de dentro de mí
es parte de mí
la siento en mí
es
música es,
la ayuda que te falta
cuando me siento solo
es una amiga que me acompaña
es
música es,
para crearla, y guardarla para ti
óyela,
es el idioma que todos sienten
somos un coro de gigantes
sabes que, sabes que
aunque del cielo borraran su huella
yo sigo
el rumbo de su estrella
puede hacer cambiar
las ideas de la gente
la mentalidad
del que escucha y que no siente
antes que esta tierra
sea una gran fosa
y antes que la nada
sea su gran diosa
porque un mundo sin la música
no puede nunca imaginarse,
porque en cada ser, en cada corazón
hay un latido de vida y de amor,
que música es,
música es
música...

5 comentários:

JotaCê Carranca disse...

Junior
Gostei destas palavras e só te posso dizer FORÇA, mermão!

Salucombo_Jr. disse...

Cota,
muito obrigado... os amigos sempre nos seguram.
abraço

Fernando Ribeiro disse...

Caro Ngoi,

Quando vi a notícia no "Pensar Angola", pensei logo em si, por causa do nome Salucombo da falecida. «Haverá alguma relação de parentesco?», pensei, receando que sim e que ela fosse o mais próxima possível.

Como eu não tinha certeza nenhuma, não comentei nada neste blogue e resolvi aguardar até que o Ngoi se manifestasse, confirmando ou infirmando os meus receios.

Pelos vistos os meus receios tinham fundamento. Por isso lhe dirijo agora o meu abraço de solidariedade, ainda que com algum atraso. Também eu lhe digo FORÇA!

"Denudado"

Salucombo_Jr. disse...

caro Denudado,
sinto sempre que raramente te ausentas...
obrigado e grande abraço.

Karamelo disse...

Lindo chefe! Estou verdadeiramente emocionada..lindas palavras.
Um beijo grande