quarta-feira, fevereiro 11, 2009

descobertas

100 Anos de Fado

2 comentários:

bekeflowerlee disse...

Meu avô, adorava fado. Acho que ele iria gostar de ver isso.

bjs

Denudado disse...

O fado, essa canção nascida em Lisboa, é para muitas pessoas a canção portuguesa por excelência, a expressão de uma certa maneira portuguesa de ser. Não falta quem associe o fado a uma herança cultural árabe, supostamente fatalista, a qual enformaria a alma portuguesa e se exprimiria através desta canção. Poderemos dizer então que o fado é de origem árabe?

Não. Segundo os entendidos, o fado é de origem africana!

De acordo com quem percebe destes assuntos, o fado resulta da evolução de uma dança tradicional africana, chamada lundum, oriunda possivelmente daquilo que é hoje o Benim e a Nigéria. O lundum veio para Portugal trazido pelos escravos africanos que os navios negreiros desembarcavam em Lisboa. A tristeza, a saudade e o fatalismo que caracterizam o fado dos nossos dias são a tristeza, a saudade e o fatalismo que os desgraçados escravos de outros tempos exprimiam, cantando e dançando, através do lundum. Com o passar dos anos e dos séculos, o lundum transformou-se em fado.

Há uma canção dos Trovante cujo tema é, precisamente, a origem africana do fado. Chama-se "Travessa do Poço dos Negros" (nome de uma artéria de Lisboa situada ao fundo da Calçada do Combro) e termina com as seguintes palavras:

«Quisemos nós saber qual era o nome desta moda. Respondeu-nos um velho já de idade: "Lundum, mas se quiserem chamem fado".»

A canção "Travessa do Poço dos Negros", do grupo Trovante, pode ser escutada neste vídeo da RTP.